Layout / Art: Ana.

sexta-feira, maio 04, 2007

escrevi ano passado....


grecco, tô te chamando a ordem... como que pode uma mulher que até o ano passado era naturalmente tarada e normalmente louca, se transforma em outra careta, travada, e tarjada??? sequelas fisicas e mentais?????


Quinta-feira, Maio 04, 2006

Queria encher aqui de retrato de homens.Homens com roupas medievais, homens com roupas de motoqueiro em dia de rally ( tesão).Homens de cabelo grande, homens carecas, enfim, homens.Sobretudo, fotos de lindos homens sem roupas!Pense o que quiser do titulo. Ele não tem nada a ver com tudo que vou escrever.Tem chances de ser aquilo mesmo...Afinal, o Chico ligouFiz um agravo.Tinha tempos que não conseguia.A análise tem dado resultados.Euzinha aqui, recebi email da Marisa dizendo que somos "envelhecentes".adorei... Aliás, jamais direi minha idade. Isso é certo como a morte.Afinal, mulheres são assim mesmo. Em qualquer idade.Eternamente apaixonando.A gente casa, descasa, e jura que nunca mais vai querer saber de "homi" .Ah, mentira pura! Nois num vivi sem eles...Implicantes, caras de pau, donos do controle da televisão,simpáticos, modernos, super pais, cozinheirosmas, são, em geral, uns hedonistas egoístas.ta na natureza deles...A gente adora essa parte, a do prazer.Quer dizer, eu adoro. Vou falar no singular, primeira pessoa.Adoro prazeres de todos os tipos.Adoro dividir o prazer com eles.Sentir com eles, lambuzar com ele.Ate um puxão de cabelo as vezes me deixa arrepiada.O prazer do depois , ficar na cama conversando, até querer de novo. Prazeres.O prazer de comer brigadeiro, o prazer de fazer xixi quando estou super apertadaO prazer de ler " deram provimento" a qualquer recurso do escritorioO prazer de tomar vodka. Amo tomar vodka . Adorava cheirar lança perfume no carnaval, mas agora akbou..O prazer enlouquecido de estar no camarote do sambódromo em frente ao recuo das baterias. Um gol do Galo . Dois gols.O prazer de fazer sexo no meio de um engarrafamento.Dormir de meias. Viajar. ( será um capítulo a parte! É meu prazer maior.)Andar a pé em Nova York, em Tiradentes, em Paris, em Blois, em São João Del Rey de noite.Depois conto mais.Quer me contar um prazerzinho seu? Eu adoro saber...
posted by marilia @ 4:03 PM

Escrevi esse também, no mesmo dia..../ ps: com alteração na presente data!!!!!

Quando duvidei de Sidarta
Era bem anos 60 quando comecei a ler Hermam Hess.A gente estava em uma fase que discutir a existencia de Deus era uma necessidade crucial.Cristina, sempre foi a mais cética. Heloisa Beraldo tinha posição definida. Não acreditava. Marisa e eu, ah, nós duas era aquela dúvida meio cristã, meio romântica. Por questões obvias - intelectualidade precoce - líamos de tudo.Curioso, me recordo agora que nunca nos passou pela cabeça ler a Biblia. Mas, adorávamos as velhas revistas em quadrinhos da anti-sala do cursinho de admissão da Dª. Petrina, histórias da vida de Santa Rita, Santa Maria Goreti, e outros santos, todas com muito sofrimento e dor, e que nos levavam as lágrimas. Contradições...
A gente lia " Diario de Dany", passando por "Vidas Secas ", "Capitães de Areia", e a tristeza inconteste de Graciliano Ramos. Sartre, Simone, e outros já eram parte da nossa vida também.
Então, surgiu Sidarta. Era o livro do momento , e não falava de Deus. Falava de algo novo, espiritual, de rituais que nos fascinaram.Morrer para renascer das cinzas... Fênix...nada mais proprio para a nossa dúvida romantica / existencialista..A tática praticada pelo sidarta era infalivel.Tinhamos que acreditar. E nós acreditamos... todas, até a lôlô...Era "cravar firmemente o olhar na nuca de alguem que esse alguem iria voltar a cabeça para trás e nos olhar".Começamos a treinar. Tinha um menino, lá na sala, colégio de aplicação, ele era a paixão de todas. Moreninho, cabelos lisos, o Luíz era o máximo.Sentava-se na primeira fileira.Cada uma escolheu seu dia de "nucar" o Luiz.Foi uma luta para conseguirmos sentar atrás dele.Nossa paixão nos daria força suficiente para que ele nos olhasse.... Primeiro dia: -Toda a concentração da Marisa, e nada! pela sequência, cada uma foi tentando.passaram dias.. quatro, oito, doze dias.....ELE NUNCA VIROU A CABEÇA PARA TRÁS!!!No´s, continuamos a olhar pra frente e acreditando em sonhos....Soube mais tarde que ele virou engenheiro e se casou com uma moça que não se parecia nadinha com a gente.
Sidarta? O lobo da estepe comeu.Acreditem se quiser.

3 comentários:

monicaalvarenga disse...

parafraseando pessoa...
adoro olhar para trás e ver o que nunca antes eu tinha visto..e sei dar por isto muito bem... sei ter o pasmo essencial que tem uma criança que ao nascer repararasse que nascera deveras...
...belo belo belo... ih é Bandeira???!!!
rsss... êta sexta feira chuléééé'...tô no mééé'...
bj
mo

marilia disse...

rsssrsss
ontem tb voltei pro samba!
mas o foda é paquerar professor de filha, em festa de 15 anos de amiga.. caraca Moniquinha, maior esquemão de família... ô xente, qui dia eu vou criar juízo???...
bjos

Anônimo disse...

Marília, sobrar tara não equivale a suprir a trava! Há um estado do desejo que mora entre a tarada e a travada, e que não se reduz à simples bipolaridade...Um ponto em que a falta extrema não é meramente recoberta pelo excesso (que afinal são dois polos da mesma coisa ausente). Um ponto de basta, um ponto de admissão... um ponto de verdade?
Quem sabe chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor?