Layout / Art: Ana.

sexta-feira, maio 18, 2007

sonhando esquisito

sexta feira, dia de zoeira. será?
saio de casa cedo pro trabalho. ligo o rádio, escuto a versão da Gal Costa daquela música da Dolores ...fim de caso...caraca...quando o amor acaba é sempre igual. meu caminho é o mesmo, mas o fluxo de carros navega conforme o horário. paro nos sinais e não me comovem mais as pessoas que vendem balas.
a imaginação anda vagando longe. tenho sonhos estranhos, onde as baleias são brancas e achatadas, e seus dentes parecem lixas que não se desgrudam da minha mão. minha mão não sangra. mas não sei porque acordo chorando. em silêncio.

4 comentários:

monicaalvarenga disse...

as cores eram azul e verde
não um azul e verde qualquer
mas um azul orientalmente anunciado...

a manga da camisa
pousada levemente sobre os olhos
amaciava os sentidos e empurrava
como uma leve brisa o ser adentro...

os pensamentos envergonhados
daquele toque
se esconderam por sob o azul
e o verde
que logo logo se apresentaram...

e ali
totalmente inerte
à mercê da pressão
dos pensamentos acanhados
foi possível ver
o quanto aquela escuridão
clareva seus sentidos.

bj
mo

KIKA disse...

MONINHA, VOCE NAO E FILHA DO NELSAO. VOCE FOI ORIGINADA DO FREUD

KIKA disse...

MONINHA, VOCE NAO E FILHA DO NELSAO. VOCE FOI ORIGINADA DO FREUD

Anônimo disse...

eu falo verso como quem chora
de desalentos...de desencanto...
ah...eterno Bandeira...