Layout / Art: Ana.

quarta-feira, maio 09, 2007


hoje é um daqueles dias que não sei onde coloco minha cabeça. quero parar de pensar, de sentir e de estar coerente, consciente ....a terapia de ontem foi forte, difícil.
hoje, eu odeio com toda as forças meu analista.
odeio elaborar de uma forma racional minhas loucuras.
tenho medo. tenho medo da doença, de Deus e da morte.
me corto sempre. a solução sangrenta da dor ausente. representação surreal e comum da mediocridade com que ando vivenciando o medo.

5 comentários:

monica disse...

deixar a dor presente...acho importante...
hj em dia as pessoas pegam trauma assim como pegam gripe e dá-lhe tomar remédio...
bergson diz que devemos ficar, estar na expêriência...
qual o probrema de sentir dor? de sofrer? isso não faz parte da vida?? quem disse que temos que estar felizes o tempo todo? isso é que é loucura!!!

que linda foto!!!
mo

kika disse...

moninha, voce e tao culta.... gostei de ver.... um beijao bem grandao. KIKA.

monica disse...

fala kika... e vc como tá? manda notícias tá?
bj

Anônimo disse...

Corta essa! A cabeça deve estar no único lugar possível: no lugar da cabeça! E viva Bergson!

marilia disse...

que anônimo culto....
e vc moniquinha, quer parar de ser tão....tão....realista... rsss ainda não estou nessa fase, mas conto com o apoio do anonimo que deu viva ao bergson...
off course que ele é meu analista disfarçado...rssss
bjos
kika, a moniquinha é foda, cara... é porisso que amuela....rsss