Layout / Art: Ana.

quinta-feira, outubro 26, 2006

A casa dos Alvarengas / as noras

Todos os filhos do meu avô Paulo saíram de casa muito jovens, e foram para o Rio de Janeiro. Lá era o lugar ideal, caminho natural de quem morava em São João Del Rey e queria “fazer a vida”. Todos eles, homens de caráter e palavra! Meu pai, sempre brincalhão, vive falando aos quatro ventos que tem muito borogodó. Custei para entender o significado da palavra que até hoje me soa de maneira engraçada. Mas é o que ele sempre responde quando alguém pergunta “como um baixinho como ele” casou-se com uma mulher tão linda como minha mãe. Não somente ele, como seus irmãos. Haja borogodó, por que minhas tias são realmente lindas. As noras de Paulo Alvarenga foram assunto em todos os lugares que passaram. Eram seis. Na minha infância e adolescência, sempre estiveram presentes, fosse férias de verão ou de inverno. Tia Odete, mãe da Baby casada com tio Paulinho, foi a primeira mulher de cabelos vermelhos que vi em minha vida! Eu adorava ficar no banheiro olhando ela se arrumar e ao final, balançar a cabeça e soltar cabelão. Foi bonita minha tia. Morreu há alguns anos. Tia Maria Helena, mãe da Denise e do Osvaldinho. Foi com certeza, das noras a favorita do meu avô, e depois da minha mãe, era a mais bonita! Alta, morena, carioca do Méier, falava puxando todos os xis possíveis! Tinha um mistério essa minha tia. Seu horizonte era muito grande e ela via o que outros jamais viram! Alimentava sua alma como alimentava seus filhos. Mas morreu uma morte triste. Saudades minha tia, sei que você é um espírito de luz! Florisbela Natalícia de Souza Lima Alvarenga, minha mãe. “Noblesse obligé”, tradição, família e poucas propriedades. O nome dela é Florisbela, e ela faz questão do sobrenome: Souza Lima de Alvarenga! Minha mãe até hoje não conseguiu Alvarengar! Dizem as boas línguas que ela melhorou muito e não tem mais o nariz tão empinado...Tia Lurdes, ou melhor, tia Lurdinha! A paulista da família, era “a cara da Elizabeth Taylor”. Seu sotaque gerou inúmeras brincadeiras, e seus olhos claros e brilhantes, muitos elogios. Tia querida, adoro sua alegria e sua força! Minha tia Olga é uma portuguesa arretada, de longe a mais alegre das noras. Apaixonada e vibrante, ama praia, adora dançar, viajar, jogar sua biribinha e cuidar dos netos. Ficou viúva muito cedo, tio Nelson morreu em um acidente de carro, e ela sofreu a perda com dignidade e sempre serena. Tia Olga definitivamente nunca vai envelhecer... A caçulinha das noras chama-se Divina. Bonita e muito clara, a mãe da Gdá, mulher do Francisco, ops tio Cácá, é a única verdadeiramente loura da família! Ela é sem dúvidas das tias a mais brava!!! Acho que tia Divina nunca vai deixar passar nada, rss... Ela realmente, não leva desaforo para casa!!!

8 comentários:

Joana disse...

ah adorei o texto... minha vo eh a mais bonita mesmo

monica disse...

ih joana... tô sentindo cheiro de polêmica no ar... rsrsrssss... adorei... são onze da noite e antes de dormir venho aqui no nosso(?) jornalzinho do poste ler as últimas... e escrever tbe...

...adorava ouvir papai contar que tinha que estudar na pracinha debaixo do poste de luz porque na pensão onde eles moravam no rio a luz apagava cedo... bororó seu apelido... vai ver era derivado do borogodó desses manos...

...rsrsss retificando... olguinha a portuguesa bailarina da terceira idade adora os netos... mas cuidar... hum... protesto meritíssimo... ela os ama mas cuidar atrapalha os bailes... ah... se o joelho deixar olguinha vai dançar por muitos anos ainda...

Gdá disse...

Lindo texto Ydizinha, prá variar sucesso total, já estou imprimindo prá levar prá mamãe ler. Minha mãe era sem sombra de dúvidas a mais brava, mas sincera e aquela que sempre abriu mão de tudo e todos em função do papai, digo Cacá, que sempre foi dependente dela rsrsrsrs e sempre muito batalhadora, apesar do gênio, sempre foi mulherão!!! Em relação as outras tias vc está coberta de razão, todas lindas e arrasantes, há mais um detalhe: minha mãe é espanhola, haja dito eu ser ariana, raça pura, loira e olhos esverdiados rsrsrsrsrrs bjs

Gdá disse...

Esqueci de dizer um coisinha: entenderam pq eu não levo desaforo prá casa né? e como diz a Méia, que sou um tanque russo rsrsrsrs agora tá explicado!!! sangue espanhol é foda!!!!!!!! beijos

Baby disse...

Babynha pediu prá escrever uma homenagem dela prá tia Odete.

Minha mãe, a espanhola mais linda que já vi e mais que linda, era sábia, misteriosa, alegre demais, feliz e pura, muito pura.
TE AMO ESPANHOLA!!!!

Anônimo disse...

BOM...FALAR DAS MINHAS TIAS É DELICIOSO....ADORO TODAS!ENTÃO VAMOS LÁ:
Tia Odete e Tia Maria Helena, tive pouco contato, mas me lembro de ambas, tia Odete chiquééééééééé´rrima e tia Mª Helena, alta, boca grossa, tipo Dê....
Tia Flores minha paixão...conto com ela em todos os momentos de minha vida, sejam ees tristes ou alegres, foi com ela que compartilhei os dias mais duros de minha vida....
Tia Olga, quero ser assim quando crescer....cheia de vida, apaixonada pela vida, eterna amante e admiradora da vida....
Tia Divina, essa é especial, pois apesar de Divinão, comigo sempre foi doce, mulher guerreira que a vida a endureceu mas comigo nunca perdeu a ternura....
E minha mãe, para mim a mais linda de todas....parece fraca, frágil, mas no fundo é uma rocha...cabeça na lua......que nada...audição seletiva...e claro que para falar da minhã mãe, nãopoderia faltar o batom vermelho e claro...muito ms muito garret!!!!!!!!

monica disse...

idy
acabei de ler sua homenagem para mamãe... e ela saudosa disse que nunca soube como tia Odete conseguia cozinhar de vestido branco, unhas compridérrimas vermelhas, e ficar impecável... em suma,bem...ela adorou...
vamos lá eu...
tia maria helena... lembro dela enfiando a régua na cama para esticar o lençol...
tia odete... cabelos vermelhos com certeza ( uau), sorriso curioso...
tia lurdinha... a queridíssima, de olhos profundos e sorriso abundante...
tia flores... sempre séria, um olhar meio reprovador...
tia divina... hj é uma flor comigo...no passado já me assustou...(rs)...
amo todas sem dúvida...
êta jornalzinho do poste bom sô...!!!

DE disse...

Meu Deus, Idy !! como me emocionei!!!

Obrigado pelo carinho tão especial com mamãe. Ela realmente não era só bonita por fora , mas linda por dentro, tão especial, tão meiga, tão inteligente, culta, e tão firme.
Me ensinou a ser independente, a lutar pelos meus sonhos , a fazer a cama com a régua pra esticar o lençol, a sempre colocar um perfume pois mulher tem que ter um cheiro bom e próprio, a nunca sair sem batom, e melhor de tudo, que a fámilia é a coisa mais importante na minha vida... saudades, muitas saudades, do seu sorriso largo, da sua gargalhada gostosa e da sua luz que sempre me envolvia e me protegia. Agradeço minha alegria a ela, pois apesar da dicotomia ela adorava a alegria.....

Tia Olga era minha fada madrinha, sempre me acolheu com carinho, sem falar no meu tio predileto que era meu segundo pai, e tenho certeza que tio nelson e mamãe estão lendo esse texto...

tia odete, chiquérrima, acordava as 6 horas da manhã pra se arrumar e quando tio paulinho acordava ela já estava como uma diva... e como era elegante pra dirigir...

tia flores, sempre doce, meiga, sempre teve tanto carinho comigo, nunca esquecia de me dizer: "estou orando por vc"..., adoro tia flores...

tia lourdinha, sempre esperta, alegre, achava engraçado quando era pequena escutar ela dizer que não sabia fritar um ovo.....

tia divina, sofrida e apaixonada pelo cacá. Esteve do meu lado quando precisei do seu apoio, sempre sincera, até demais... mas honesta.

A todas as tias meu grande amor, pois todas sempre falam de minha mãe com grande carinho, e tenho todas elas realmente no meu coração.

Com amor

Denise