Layout / Art: Ana.

quinta-feira, outubro 04, 2007

Liberdade, ainda que tardia...Blogagem coletiva



(Saiba mais, e copie o banner AQUI )

Sou contra toda opressão e qualquer tirania...
Contra o preconceito e o abuso...

Atenção algumas pessoas que passaram, ontem, anônimas no meu blog!
É um post pela PAZ. Mas preciso responder. Calmamente, pela minha paz interior, preciso responder. Sei exatamente o que estou fazendo. Colocar esse banner aqui é uma forma de dizer que sei... Não vou salvar o mundo, nem libertar qualquer monge. Mas acreditem, meu dia ficará melhor e algumas pessoas a mais, pensarão no horror e de como ainda se mata e se morre pela tão famigerada liberdade. Ridículos os comentários que não liberei... anônimos covardes, debochando da minha participação nesta blogagem coletiva, dizendo q'eu sequer sei onde fica o país pelo qual estou pedindo liberdade, me chamando de idiota, e de "Maria vai com as outras"... Sei o bastante para não me preocupar com desocupados que se metem na vida alheia para denegrir, diminuir. Comigo não, "mormão"! As vezes desabafo, como agora! Tomo remédios sim. E dai?? Não escrevo temas brilhantes? Crônicas inteligentes? e daí??? Quem sabe? Eu gosto de mim! Não falo de filmes, não escrevo resenhas literárias, não discuto política. Ai meu Deus..e daí??? È vero... Sou feliz quando não surto. Espalhem essa minha bandeira... já tem sangue demais molhando essa terra.
UPDATE:
Amigos, passem no blog da Luma, para saberem mais desta blogagem coletiva!

24 comentários:

Cejunior disse...

Marilia, sua frase final diz tudo: "espalhem essa bandeira, que já tem sangue demais molhando essa terra"!
Não importa o que digam, não importa onde fica Myanmar, não importa nada a não ser nossa indignação!
Um beijão e parabéns!

Maria Augusta disse...

Marília, o importante é que você aja com "ton âme et conscience", não ligue para as críticas. Se teu coração te diz que você deve defender esta causa, você faz muito bem em fazê-lo. E quanto aos temas de teu blog, continue assim, é assim que gostamos dele.
Um beijo e um bom dia.

Meire disse...

Amore,
tomara que nossa manifestaçao silenciosa sirva para alguma coisa,
bjs

Eduardo P.L. disse...

Parabéns pela postagem. Sua frase, como diz CEJUNIOR é muito forte e boa!

Abçs

Yvonne disse...

Marília querida, tô morta de saudades de você. Como seus posts são grandes demais deixei para ler com calma e ainda não tive o tempo necessário que você merece. Minha coluna já está bem melhor e amanhã voltarei à ativa. Beijocas carinhosas

Erika disse...

TO CONTIGO E NÃO ABRO!!!!!!!!!!!

Beijos kiridissima

Ronald disse...

Marilia, obrigado por me lembrar da blogagem, já insiri lá o banner. Você não sabe onde fica Myanmar???? Eu também não e não estou nem um pouco preocupado em saber. O que sei que o povo deste lugar, merece ter o direito a liberdade, o resto, é resto...Beijos

ediney disse...

teu texto é bom para reflexões e ações

DO disse...

Achei excelente a iniciativa,MARILIA.
Quem diria que o século XXI seria de tanta violência e absurda intolerancia como o que estamos presenciando.

Beijo!

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Dotôra... eh de se espantar que ainda tem gente que se dá ao trabalho de fazer algo ridículo do tipo... perdendo o seu tempo e tomando o dos outros...
Adoramos seu blog... pelos comentários n eh necessário esta afirmação!
Um beijo enorme e continue assim do jeito que amamos!!!

bjossss

Lili disse...

Parabéns minha linda pelo texto e pela bela cidadã q és. É o pouco de cada um q faz o muito, podemos sim mudar o mundo, talvez não sozinhos mas em conjunto isso pode vir a ser realidade.
Bjos

luma disse...

Com certeza as pessoas que a criticaram é que não sabem onde fica a Birmânia e nem mesmo sabe o que acontece em volta de si.
Num mundo globalizado, tudo que acontece lá longe, repercute aqui perto de nós. As pessoas que te criticaram morram onde os judas perdeu as botas! Alienados em seus mundinhos...beijus

monicaalvarenga disse...

o prima... que babacas!
bj

Lila disse...

Marília,até ver na tv o que estava acontecendo em Mianmar, não tinha idéia de onde ficava e o que acontecia por lá, mas isso não quer dizer que não se possa se manifestar a favor do povo de lá,não é mesmo? parabéns por fazer parte dessa blogagem coletiva,
beijos

tati sabino disse...

Ah! que pena vc passou la antes do post ir ao ar..rs, passa lá denovo depois...
Texto perfeito!!
Bjos..

Mário disse...

Marília, eu não sei e não to nem aí com isso. É uma blogagem pela paz e afeta aqueles que não desejam paz porque vivem da guerra ideológica e comprazem-se com a opressão que espalham pelo mundo. Querida, fazemos a nossa parte e incomodamos alguns e isso é um mérito e não um demérito.

Outra coisa, se alguém disse essas coisas sobre o teu blogue é porque realmente não o conhecem, nunca leram um dos seus posts, não frequentam esta sua casa virtual.

Quem daqui se aproxima, minha amiga, volta sempre. Retorna porque descobre a alma generosa da Marília, editora deste blogue. Da amiga incondicional e apoiadora de muitos amigos que fez ao longo desta caminhada pela blogosfera.

Não leve a sério gente que não é séria.

Você não merece essas criticas que só visam destruir e machucar.

Tem dois ou três que te criticam? Tem muito mais, entre eles eu, que te admiram.

Um beijo, querida. Paro por aqui se não não acabo este comentário hoje.

Beijos.

Sonia disse...

Até os jornais começarem a falar em Mianmar eu também não sabia onde era (a geografa não é mais a mesma dos meus tempos de colégio). Um blog é aquilo que seu autor quer que seja - uns escrevem resenhas literárias e gosto de seus blogs, de ver o que outros pensam dos livros que li ou não tive ocasião de ler. Mas eu não sei escrever resenhas, por isso não o faço. Há blogs que tratam de temas políticos e polêmicos e muitas vezes me esclareceram a respeito de coisas que eu desconhecia. Mas escrever sobre esses temas não é o meu dom. Então escrevo aquilo que gosto e que sinto. Quem não gosta de um blog tem o direito de não voltar lá (quantas vezes fui conehecer um blog indicado e não comentei nem voltei). E para discordar (direito que cabe a todos) é preciso fazê-lo com classe e argumentos. Quem se limita a xingar é porque também não tem o que dizer.

Rafael Reinehr disse...

Marília, que bom que, entre uma petição a outra, tens tempo de visitar os amigos! Quanto às críticas vazias, não dá nem pra se incomodar: apaga-se sumariamente os comentários provocativos e ponto final.

Anunciação disse...

Em algum lugar nesse planeta,onde houver alguém com fome,seja de pão seja de liberdade(o que é o caso),não será justo que outros viventes façam o que é possivel?Blogar é,além de nosso prazer,nosso desabafo,nosso modo de comunicação e também nossa missão.Se eu não gosto ou não concordo com o conteúdo de um blog,é mais simples do desligar a tv.Querida,já dei também minha humilde contribuição lá no meu canto.Um grande abraço.

perdidinha... disse...

ahhhhhhhh... cheguei atrasada! eutb marilinha... sou contra qq tipo de opressão.
beijocasssssssssssssssssss no coraçãozinho!

ps: quando a loucura da minha vida permitir volto com calma pra comentar decentemente!!!

Márcia(clarinha) disse...

Oi querida,
só agora vi seu pedido da blogagem, fiquei um tempinho longe da net, sinto muito.
Faz bem em não se permitir engasgar com acusações anônimas, deixe-os pra lá, não sabem o que falam.
dias lindos, flor
beijos

Sandra disse...

Independente do post ser da Etiópia, do Azerbaijão ou dos quintos dos infernos... Você tem todo o direito de participar. Como eu, de não, por concordar com o Afonso (precisamos ajudar nossa casa, antes de termos peito e força para ajudar os outros).

Você nem deveria ter respondido. Deu-se trabalho por demais.

"Gente pequena" não merece "grandes esforços".

Beijos

andre wernner disse...

Pois é Marília, é lamentável que isso esteja acontecendo, privando aquele povo da sagrada democracia e do direito de se expressar livremente.

O autoritarismo militar e o comunismo são duas pragas que precisam ser combatidos. A força militar é importante para a segurança de um país. Porém, ela não deve se perpetuar no poder. A força militar, quando necessária a sua intervenção, deve ser transitória.

A missão de uma força militar não pode ser confundida com política, e menos ainda, com politicagem. Ela tem por finalidade manter a soberania do país. E não usar a bota contra o cidadão. Só contra os invasores!

Aliás, sempre que governos se perpetuam no poder, tendem a prejudicar os anseios nacionais e sobrepujar as instituições e desqualificar o cidadão de bem. É isso que leva às tiranias mundo afora. Combater é preciso. / Abs

Adelino disse...

Marilia, não ligue para críticas. O seu blog entrou com o maior sucesso, é inteligente, é lido, comentado, você é verdadeira.
O Alvarenga Sempre é seu e você escreve o que quiser. Nem ponho link para o meu cantinho porque muita gente acha aquilo tudo "água com açúcar", saudosista (o que não é mesmo), e lê quem quer.
Como disse o grande filósofo Supla: "Quem gosta gosta, quem nao gosta não gosta". "E estamos conversados" diria a Aracy de Almeida...
Beijos