Layout / Art: Ana.

sábado, julho 14, 2007

VIVE LÁ FRANCE!!!!!


Há tres anos, estava lá com as meninas...
Nathalie, Angelica e vicnicius nos receberam e passamos o 14 juillet passeando pelo vale "du Loire"...
Uma curiosidade que aprendi na petite ville de Angoulême:
"Ci devant", foi como os revolucionários marcaram as casas dos nobres os quais tinham seus nomes e brasões escritos na frente de cada chateau ou hôtel de ville.
Para demonstrar a força da revolução, o povo escreveu "ci devant" de todos os nomes nobres, demonstrando o desprezo pelo sobreome nobre, caracterizando também na escrita o fim da nobreza, e que todos eram cidadãos : = igualdade, liberdade e fraternidade...
Na revolução mais sangrenta de muitas, onde cabeças rolaram mais rápido que o pensamento, o ideal vive até hoje no espirito mundial, e foi e será sempre lembrada como o inicio de um novo tempo!
( "nois", na maior indolência burguesa... n'uma das sacadas do chatêau Chambord )
Abaixo, link roubado descaradamente do blog da Tina "universo anárquico":
Tour Eiffel, vejam que está amanhecendo!
http://www.paris-live.com/paris_webcam/eiffel_tower_cam3.htm
Agora, vou mesmo...

12 comentários:

cilene disse...

O mundo estå precisando de outras revolucoes,,,espero nao tao sangrentas.

perdidinha... disse...

igualdade, liberdade e fraternidade... essas três palavras me fizeram ficar apaixonada pela história francesa.
elas fazem aflorar meu lado extremamente crítico com essa situação do país... mas como esse não é meu objetivo bloguístico eu deixo pra lá...rs...
beijocassssssssssss e um final de semana iluminado!

Adelino disse...

Olá, Marilia.
Você é aquela da foto com os pimpolhos? Em primeiro plano? É...

Estive te observando e acho que você tem uns dois parafusos a mais ou a menos. É um caso a estudar. O analista desistiu de você? Não cobrou nada e ainda te mandou embora? Fala de fantasmas, de Atlético Mineiro, de confusão em aeroportos, já foi hippie (assim mesmo/), fez ponta no Hair etc.
Falo isso porque de repente você "desenbesta" (gíria mineira muito carinhosa) a postar que nem dá tempo da gente comentar. E ainda fica cobrando.
Marilia, é brincadeira, adoro você e seu blog e essa turma que comenta aqui.
Beijos.

Antonoly Maia disse...

Oi Marília, como vai? muito legal seu blog, gostei daqui e retornarei mais vezes!
Um beijo!

Eduardo P.L. disse...

Viva a França, e parabéns pela lembrança, Marilia. Todos os anos eu me prometia passar esse dia com a Sandra minha filha, lá! Nunca fomos. Ainda esta em tempo, agora para levar minha netinha Eduarda!Vou continuar me prometendo. Talvez no próximo ano!

Bom Domingo e bjs

Mário disse...

Marília, existem alguns tipos de revolução: a política, a industrial, a tecnológica dentre tantas outras que poderíamos citar. De todas, uma eu espero com certa impaciência e, lamentavelmente, tenho certeza que não viverei o suficiente para ver com os olhos da carne, mas queria muito que ocorresse ainda hoje: a revolução do ser humano. Aquela onde o homem deixasse de pensar apenas em si mesmo e passasse a perceber a necessidade urgente de preocupar-se com o bem estar do seu semelhante. Uma revolução interna, autêntica e completa, onde igualdade, liberdade e fraternidade saltassem da estratosfera das conjecturas filosóficas e mergulhassem na mentalidade deste ser potencializado para ser tudo de bom, porém, resignado à sanha de acumular um ou outro pote de ouro. Esta revolução, minha amiga, não será nesta vida que testemunharei. Pena! Eu queria que fosse.

perdidinha... disse...

obrigada pelo carinho, minha querida...
e posso dizer uma coisa? a gente atrai pra perto da gente pessoas como nós... se vc me considera especial é pq vc é mais, muito mais que isso!
beijocassssssssssssss e um domingo especial como nós!rs...

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Ei Dotôra! Quanto tempo... vejo que estou bem atrasada com minha leitura do seu espaço!
Aproveitei hoje, um tempinho livre elogo trato de ocupá-lo! Ainda bem sei escolher, é com coisa boa!!!

Felicidades... bjosssssss

CLAUDIA disse...

Marília, todos os contos postados no Caminho dos Contos é de minha autoria. Claro que me inspiro em livros e filmes, mas é integralmente escrito por mim.
Do lado direito há um site onde publico meus contos, se desejar visitá-lo procure o título Mielim e a Harpa Encantada.

Grata por caminhar.

Beijos de lua.

Carlinha disse...

Nossa, adorei saber da história do cidadão!
Beijocas!

Yvonne disse...

Ah que inveja. Como eu gostaria de ter estado em Paris em um feriado. Beijocas minha linda.

Blog do Beagle disse...

Lindo post. Amei a lembrançã do 14 de julho. Bjkª. Elza