Layout / Art: Ana.

domingo, julho 08, 2007

A casa dos Alvarengas

O Aniversário do seu Walter...

Foi um almoço muito alegre o de ontem, com muitoa Alavrengas presentes....
Meu pai, homem das antigas, jamais conheci outro tão moderno.
Meu primeiro biquine, ele trouxe do Rio, quando ainda era um escândalo...
Desfilando nas escolas de samba de São João del rey, dividia com a gente a lança perfume ... ele jogava na gente, e nós, já velhacos...(rsss) cheirávamos...
Sim, como disse a Mõnica em seu lindo comentario no post de ontem, meu pai saia, com o creme de barbear no rosto, dirigindo um bel-Air amarelo e preto, e nos levava cedo para as aulas... Parava em um sinal, e todos ao lado olhavam , ele então , dava um sorriso e dizia baixinho , como se cumprimentassse o motorista ou o carona do carro ao lado: " bundinha lavadinha hoje?"...E nós, morrendo de vergonha, nos escondíamos bem no fundo do banco largo de trás e dávamos gargalhadas, porque todos respondiam: - bom dia , que simpatia!!!; - bom dia, que senhor educado....
Atleta, sempre nadou em mar aberto e em piscinas, e fez disso uma rotina, que hoje a idade e a saúde não lhe permitem mais ... é uma das grandes tristezas do meu pai.
Bem cresci com esse homem que nunca fumou ou bebeu, mas QUE NUNCa me proibiu de fazer nada, sempre me esclarecendo as consequências e dizendo que a escolha era minha....
Tive uma adolescencia e uma infância, onde tudo acontecia, muito antes de Piaget e outros inovadores da educação "moderna"...
Fumar, viajar, encher a casa de amigos, dar festas, aliás nossa casa, era A CASA e meu pai o festeiro môr ...... Fazia queima de judas, quadrilha, escondia ovo de páscoa, todos os aniversários, rifas e quermesses, só para encher a casa de musica e alegria.
Horas dançantes e serenatas??? Ah...Ele, funcionário do BB, tinha que trabalhar cedo, e se a festa passasse da meia -noite, não tinha dúvidas...meu pai descia de pijama até a sala, e colocava um "pinico", que ele chamava de urinol... bem no meio e dizia...: - a festa acabou!!!!E era uma debandada geral, um côro de gargalhadas, pois sempre esperávamos esse momento.....
Aprendi com meu pai que trabalho é obrigação sadia e alegria e bom humor, o que nos ajuda a passar pela vida. Viajávamos muito, essa sempre foi uma das alegrias do meu pai: - encher o carro e viajar... Lembro dele dirigindo e recitando: - " as armas e os barões assinalados, que da ocidental terra lusitana, a melhor furta da terra é com certeza a banana"!!! e tinhamos que gritar todos juntos :`"a banana...", pois é claro que ele se calava no momento final para todos responderem...Só anos mais tarde vi que era um dos trechinhos dos Lusíadas que ele parodiava...Quando eu tinha uns 8 anos, ele comprou terrenos e passamos a ter uma casa em um dos primeiros condominios fechados da região dos lagos (RJ), perto de Araruama, onde passamos até hoje verões deliciosos e dos quais tenho histórias para mil anos....
Livre, sempre aberto a qualquer conversa, meu pai nos impulsionou para um mundo onde falar o que pensa era uma ordem, exprimir o que sente uma necessidade, e ser correto com suas idéias , o maior direito nosso.
Eu, posso dizer sem medo de errar, que meu pai é a pessoa mais alegre que conheço e que não passou em branco pela vida!!! E , o jeito Alvarenga de ser é um pouco do jeito de ser do Seu Walter....Religioso, da ordem de São Francisco e devoto de carteirinha de Nossa Senhora das Merces, e de Santa Rita... vai até hoje a missa sempre aos domingos, por que não acredita nessa "historia de confissão comunitária e missa aos sábados..." E o mais ternura, é que ele ajoelha e reza em um joelho só...como antigamente....
Eu realmente ficaria dias, meses a falar desse pai que sempre me cuidou e me protegeu, e até hoje é meu esteio. Na minha doença e em todas as minhas crises, ele é o primeiro a chegar junto, e até hoje não durmo sem que ele me ligue para dar boa noite.....( freud explica?)
Ps: é verdade o comentário da Mônica...quando meu pai fez setenta anos , fizemos um farra para ele... ele ganhou uma"lindamulher" saindo de dentro do bolo... Com a anuência da Dona Flores, que só falou o seguinte : -meninos, ela só não pode chegar perto do seu pai!
Ps: depois conto da gracinha que é o amor desses dois...

12 comentários:

Priscila Pires disse...

Que lindo o Sr. Walter!!!!!
Adoraria poder ter o meu pertinho mas esse texto na verdade por alguma razao me lembrou meu avo. Que faleceu no dia de Natal em 2005. Era como o Sr. Walter - apesar de ter todos os vicios do mundo- adorava viajar. No fim da vida jah estava doente e assim sim perturbando todo mundo. Na verdade deixa eu me retificar...meu avo nao tinha nada de bom como o sr. Walter, mas ainda sim o texto me fez lembrar dele e deu saudades!rs
bjossss mamis

Márcia(clarinha) disse...

Lindamente descrito o amor mais bonito que se possa ter, Sr. Walter escreveu sua história de vida baseada e solidificada na verdade, respeito, autenticidade e alegria pelo ser humano, a vida corre assim, solta, livre quando cremos que podemos e somos do bem e temos uma família que nos vê desse jeito, um super homem que nos ampara, acredita, reza e torce por dias melhores.
Parabéns minha flor, por seu pai e por todos que tem o privilégio de compartilhar dele.
Lindos dias e carinho especial no Sr. Walter.
beijos

*hehehe, não sei o que deu no Avelino, mas um passarinho soprou algo errado no ouvidinho dele, rsss

monicaalvarenga disse...

idy...linda homenagem... adorei as fotos... que delícia imaginar vcs aí juntinhos... daqui, fica uma oraçào silenciosa de afeto e carinho por vcs...mil bjs pripa...
mo

Yvonne disse...

Lindo, lindo, lindo. Sem mais comentários. Beijocas

perdidinha... disse...

lindooooooooooooooooooo...
chorei muito agora lembrando do meu.
caramba menina... sem ter o que falar aqui.
beijocasssssssssssss.

Anônimo disse...

Especialmente lindo esse seu pai........
sou uma apaixonada e admiradora de carteirinha dele, pelo humor, carinho, singeleza nas coisas mais simples da vida........minha reverencia ao Sr. Walter, com um desejo de como o Suassuana chegar aos 160
beijos.
Dedéia imobilizada temporariamente...rsrsrrs

Claudio Costa disse...

Vê-se bem que este senhor Walter é peça rara! Parabéns, mil parabéns.

Blog do Beagle disse...

Comecei a ler e juro que não terminei. Senti saudade do meu que se foi faz 12 anos. Parabéns e feliz aniversário ao Sr. Alvarengas. Bjkª. Elza

KIKA disse...

IDI, E ISSO AI, SEU PAI, COMO O MEU, OS TIOS SAO TODOS LINDINHOS DEMAIS. ME EMOCIONEI E AMEI TER PARTICIPADO DESSE MOMENTO UNICO DE SEUS 86 ANOS, ELE E UMA GRACA. QUE DEUS O CONSERVE COM A GENTE POR UM BOM TEMPO. BEIJOS.

O Meu Jeito de Ser disse...

Marília meu bem, que linda homenagem.
Um apessoa bonita, feliz como o Sr Walter, não poderia ter feito qualquer coisa. Ainda mais que já sei que o amor dele e de D Flores, é muito especial.
Então meu bem, chegou a hora, de juntar forças onde quer que seja, e dar um chega prá lá nessa doença, ser feliz é uma obrigação, e ele te ensinou isso, ele viveu prá isso, ele quis e quer isso.
Parabéns Sr Walter pela vida maravilhosa que teve até aqui e pela filha linda, maravilhosa, e que será daqui prá frente muito forte.
Um beijo aos dois.

valter ferraz disse...

Marilia,
não tive a graça de ter o meu pai por perto assim na minha maturidade. Meu pai adotivo, Sr. Leon já morreu a um tempo bom. Ficou só uma boa lembrança.
Mas vibrei com a tua história. Tô te falando, muié: quero um livro seu. Sucesso garantido.
Beijo grande

Gdá disse...

Pripa, super amiga rsrsrsrs linda a homenagem e mais linda ainda pq participei!!! Pripa, nossos pais, todos sem exceção são tudo! eu tb amo muito meu pai, ele é especialmente especial! é o meu AR!!! Acho que isso, apesar de Freud ter que explicar muita coisa e Nit chorar muito rsrsrsr mas eu acho que somos o que somos por causa deles, somos FELIZES!!! beijos pripa amiga, Gdá.