Layout / Art: Ana.

quinta-feira, julho 12, 2007

Amazon II - Liberdade


Ao concordar em participar da blogagem coletiva sobre o tema proposto pela Meire / http://www.meiroca.com/ / ( o que tem acontecido com brasileiros em diversos aeroportos americanos e europeus, na operação batizada de Amazon II ) me vi diante de um problema sobre o qual não tinha muitas informações .
Ao procurar mais detalhes, encontrei na internet depoimentos contundentes de brasileiros que sofreram humilhações e viveram horas de angústia em aeroportos europeus, principalmente na Inglaterra, Espanha, e Portugal, e depois foram " deportados", mandados de volta, sem que eles hovessem cometido quaisquer ato que ferisse as normas internacionais , sendo certo que o Brasil sempre teve uma política de imigração extremamente aberta aos cidadãos destes países referidos !
Tal fato me causou espécie, eu não imaginava que eram constantes tais situações, e ainda, que as mesmas ocorrem sem que exista qualquer motivo legal, ou ilegal, na documentação ou na bagagem do viajante!
Apesar de entender ser precipitada e, quiça pouco fundamentada a minha conclusão, digo que se trata de uma imensa onda de xenofobia que assola a velha e grande Europa...
Não vou transcrever o que li internet afora.
Prefiro propor que em todos os aeroportos do mundo seja obrigatório colocar em todas as línguas e em letras garrafais, um poema do Thiago de Mello.
Prefiro pensar que se assim for feito, os homens acabarão acreditando no Poeta!

ESTATUTO DO HOMEM - Ato Institucional Permanente -
Artigo I
Fica decretado que agora vale a verdade. agora vale a vida, e de mãos dadas, marcharemos todos pela vida verdadeira.
Artigo II
Fica decretado que todos os dias da semana, inclusive as terças-feiras mais cinzentas, têm direito a converter-se em manhãs de domingo.
Artigo III
Fica decretado que, a partir deste instante, haverá girassóis em todas as janelas, que os girassóis terão direito a abrir-se dentro da sombra; e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro, abertas para o verde onde cresce a esperança.
Artigo IV
Fica decretado que o homem não precisará nunca mais duvidar do homem. Que o homem confiará no homem como a palmeira confia no vento, como o vento confia no ar, como o ar confia no campo azul do céu.
Parágrafo único:
O homem, confiará no homem como um menino confia em outro menino.
Artigo V
Fica decretado que os homens estão livres do jugo da mentira. Nunca mais será preciso usar a couraça do silêncio nem a armadura de palavras. O homem se sentará à mesa com seu olhar limpo porque a verdade passará a ser servida antes da sobremesa.
Artigo VI
Fica estabelecida, durante dez séculos, a prática sonhada pelo profeta Isaías, e o lobo e o cordeiro pastarão juntos e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.
Artigo VII
Por decreto irrevogável fica estabelecido o reinado permanente da justiça e da claridade, e a alegria será uma bandeira generosa para sempre desfraldada na alma do povo.
Artigo VIII
Fica decretado que a maior dor sempre foi e será sempre não poder dar-se amor a quem se ama e saber que é a água que dá à planta o milagre da flor.
Artigo IX
Fica permitido que o pão de cada dia tenha no homem o sinal de seu suor. Mas que sobretudo tenha sempre o quente sabor da ternura.
Artigo X
Fica permitido a qualquer pessoa, qualquer hora da vida, o uso do traje branco.
Artigo XI
Fica decretado, por definição, que o homem é um animal que ama e que por isso é belo, muito mais belo que a estrela da manhã.
Artigo XII
Decreta-se que nada será obrigado, nem proibido, tudo será permitido, inclusive brincar com os rinocerontes e caminhar pelas tardes com uma imensa begônia na lapela. Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida: amar sem amor.
Artigo XIII
Fica decretado que o dinheiro não poderá nunca mais comprar o sol das manhãs vindouras. Expulso do grande baú do medo, o dinheiro se transformará em uma espada fraternal para defender o direito de cantar e a festa do dia que chegou.
Artigo Final.
Fica proibido o uso da palavra liberdade, a qual será suprimida dos dicionários e do pântano enganoso das bocas. A partir deste instante a liberdade será algo vivo e transparente como um fogo ou um rio, e a sua morada será sempre o coração do homem.
Thiago de Mello Santiago do Chile, abril de 1964

19 comentários:

Meire disse...

Marilia, este poema caiu com uma luva, nao o conhecia...belissimo,
bjs

O Meu Jeito de Ser disse...

Querida amiga, sensível e linda.
O poema já diz tudo.
Bom seria se pudéssemos pratica-lo, o mínimo que fosse, e o mundo seria melhor.
Se olhássemos o outro, como se olhássemos no espelho e gostássemos da imagem refletida.
O que falta no homem é exatamente a generosidade, a cumplicidade, o respeito pela criatura do pai.
O problema que tem acontecido nos aeroportos, asism como em outros lugares nada mais é que uma grande falta de respeito ao próximo, e o egoísmo imperando onde houver a presença do ser humano.
Parabéns, o post ficou perfeito, e a escolha de Taigo de Mello, falou por si.
Um beijo

Lord Broken Pottery disse...

Marilia,
Esse poema é mesmo formidável. Sempre que ouço essas histórias sobre deportações me arrepio. Viajo muito, sempre que posso. Nunca tive problemas na Europa. Geralmente faço o vôo da BA São Paulo-Londres, chego na minha querida Inglaterra, normalmente aos sábados pela manhã, explico direitinho o que estou indo fazer lá, mostro a passagem de volta para o Brasil, e curto minha estadia sem problemas. Devo ser um cara muito sortudo.
Beijos

Anderson-kbça disse...

muito bom, muito bom!

é uma pena isso acontecer, realmente não entendo esse tipo de tratamento com os brasileiros, não somos homens-bomba, não somos terroristas e no nosso país todo mundo vive e, como você disse, principalmente os países que nos tratam dessa forma.

Enfim, concordo com você, que coloquem esse texto em todos os aeroportos!!

bom dia.

clene disse...

Moro na Europa e sei que eles nao gostam da gente..

Priscila Pires disse...

vixe acho que postei um negocio nada a ver antes sem querer...se sim, apenas desconsidere.
entao essa onda de problemas nos aeroportos eh meio novidade pra mim.Sempre soube que existe uma serie de burocracias e tal, mas nao ao ponto de deixar brasileiros presos nos aeroportos ou ainda manda-los de volta ao Brasil. Lamento que isso esteja acontecendo mas a realidade q tive foi um pouco diferente.
bjo mamis...

luma disse...

Marília, em um ponto eles estão certos em vigiarem as fronteiras, nós é que estamos errados de deixar qualquer um entrar. Mas também estão errados em valerem-se de autoridade para humilhar, alguns brasileiros foram presos em celas comuns com bandidos. Nesta leva de deportamento o Brasil não foi o mais afetado, no somatório, eram 15% do total e eles alegaram que tinham algum impedimento para entrar no pais e que consta no passaporte o motivo de deportamento; documentação errada, não informação dos motivos da viagem e por aí vai. Não vamos tapar o sol com a peneira, como disse a Cilene, eles não gostam de estrangeiros.
Beijus, Luma

Evilasio disse...

seria �timo um estatuto como esse funcionando pra valer.. :D

Simone disse...

Ol[a, Mar[ilia! Achei ótima a forma q vc escolheu p debater ese assunto, c um poema! Talvez o mundo fosse melhor se existissem pessoas q olhassem a vida dessa forma. Mas, infelizmente, ainda não chegamos lá! Mas, algo q acho q temos q admitir, com relação a todo esse problema, em primeira mão, é o porque serem os brasileiros as maiores vítimas dessa discriminação. Se prestarmos atenção nos números de brasileiros ilegais, talvez possamos começar a entender todo o problema, não? Desculpem se pareço ir contra nossos cidadãos, entendo q para muitos o aeroporto é a última solução p uma vida digna e confortável, mas temos q começar a nos responsabilizar pelas nossas ações e, talvez achar soluções p pessoas q preferem arriscar viver em outro país ilegalmente, dando gás a esse tipo de discriminação!

Adão Braga disse...

Minerinha querida...

Um abraço... vou adotar as diretrizes..

O minerim abaianado que outro dia passou por aqui, voltou e comentou.

perdidinha... disse...

esse poema diz tudo!!!
é perfeitooooooo!!!
caramba... como está faltando amor entre as pessoas, né? pq do amor vem a solidariedade e todo o resto dos bons sentimentos como a caridade tb!
falta amor, amiga... falta amor!
beijocassssssssssssss.

Claudio Costa disse...

Dois conceitos se confundem, neste mundo dito pós-pós-moderno, como querem os 'intelequituais': globalização x universalização. Com a comunicação instantânea via web e com meios de transporte cada vez mais rápidos, o deslocamento de pessoas e mercadorias está tão facilitado que se fala - há tempos - em "aldeia global" = é a universalização. Por outro lado, o império capitalista gerou um monstro chamado "globalização", que obedece e serve aos poderosos detentores das informações, da tecnologia e do sorvedouro de capitais. Os 'donos do poder' impõem aos demais (cada vez mais pobres e numerosos) as normas de funcionamento comercial e o modelo consumista, que ignoram a cultura local, os valores de cada povo, etc. As fronteiras servem para segregar pessoas mas deixam passar pelas ondas da internet bilhões de dólares em transações infinitamente lucrativas (para quem detém o capital, claro). Por isso somos rechaçados e para isso servem as "alfândegas do material humano": queremos seu trabalho e seu dinheirinho, mas você fique lá, na periferia do primeiro mundo".

Anônimo disse...

Por que haveriam de deixar entrar no país deles um povinho que mete a testa na tigela para colocar dedos? Hein?

Felipe,
www.zepereiranoticias.blogspot.com

Lino disse...

MaríliaÇ
Muito apropriado para o assunto o Estatuto do Thiago de Mello. SE fosse adotado, acabaríamos com vários problemas de discriminação.

marilia disse...

Amigos. obrigada por participarem do debate, deixando aqui suas opiniões!
Quero ressaltar que eu nunca vivenciei nada parecido,mas fico em paânico só de pensar...eu vou dar tantooooooooo trabalho para eles, que vão me deixar entrar!!!!
Claudio, se me permitir, vou postar seu comentário, pois achei super interessante a abordagem...
Abraços e obrigaduuuuuuuuuu

georgia aegerter disse...

Os Estados Unidos já faz isso há décadas e ninguém reclama e o pior é que ele te dá até um visto e mesmo assim você é mandada de volta. Meu irmao com visto e tudo teve que voltar no próximo vôo. Nao creio que a discriminacao seja só com os brasileiros, nao. Isso no caso dos Estados Unidos. A irma do meu esposo que é alema, também teve que voltar no mesmo vôo. Por que é que as autoridades nao colocam também na primeira página do jornal? Porque é Estados Unidos meu bem. Ninguém quer mexer com a fera. Mas Espanha? Quem é ela?

Grande beijo

Meire disse...

Marilia, li todos os comentarios.
Bom saber como cada um percebe a situaçao,
beijinhos,
Meire

valter ferraz disse...

Marília, eu acredito no Thiago de Melo. Tanto que o meu filhyo ganhou o seu nome. Homenagem ao poeta. O mais velho homenageei Pablo Neruda.
Eu acredito nos poetas.
Um beijo

marilia disse...

eu ja tinha lido e é muito bonito!!!!!!

estou simplismente querendo uma explicação para o artigo 8 (XIII)

estou fazendo um trabalho sobre ele e não sei como falaria sobre ele!....

... ja tenho uma base + quero uma coisa melhor!!!!!!!!!!!!!




agradeceria muito se alguem podesse me ajudar!!!!!