Layout / Art: Ana.

segunda-feira, setembro 03, 2007

tenho 28 anos, sou solteira e quero meu currículo!

Marcela vestia um terno Armani, cheirava a Channel e usava sapatos de salto fino.
Sentou-se em uma das mesas, praça de alimentação do shopping.
Preocupada, achou que não era o melhor local para ser vista naquela hora.
Olhou para os lados,
Fica enjoada quando espera alguém.
O garçom da pizzaria perguntou se queria alguma coisa do cardápio e explicou que a mesa "era deles" .
-Não, obrigada, mas aceito a carta de vinhos...
- Senhora, aqui só servimos chopp
Ela já sabia, que frescura, papel de boba , noveau riche para ela mesma...
- Então quero um 'bolinha', por favor.
Pronto, de novo o vocabulário a denunciava.
Esta cansada de esperar, cansada de sonhar, cansada de se repetir todas as semanas.
Nada dele chegar.
Esperaria com o chopp.
As mãos rodavam em volta da borda do copo, sem pressa.
Mais um bolo.
Ela sempre achou que escolhia.
Engano.
A cada dia, cada tarde de espera, teve certeza de que era d'eles a escolha.
Maldita modernidade.
A irmã se casou logo após ter saído do supletivo.
Ela foi ouvir os tempos e fez faculdade.
Curso superior, trabalha 12 horas, tem passaporte, carro, roupas
Mas, que inveja sente do currículo da irmã:
- dois filhos, um ex-marido, pensão alimentícia, e toda a libertinagem liberada...
Separada, mas tinha filhos e x-marido.
Podia tudo, e ainda era elogiada.
Pudera, a irmã não era como ela.... solteira!!!!
Que coisa horrivel, que saco, é sério, papo brabo, ser solteira, ter 28 anos.
Ela ousou falar dessa ansiedade com algumas amigas na mesma situação.
- Eu... quero muito achar alguem legal e me casar....
Ouviu poucas e boas respostas...
Foi quase excluída da rodinha de sexta-feira...
Mas a verdade é que era 5 da tarde, sabadão!
Sequer uma mensagem no celular.
Marcela não parava de abrir e fechar o telefone, iluminado com sua foto, toque exclusivo.
Ela no shopping, terninho armani, salto fino e o gato?
Daria a ele uma chance de chegar atrasado.
Esperaria até as 6.
Afinal, o trânsito pode estar congestionado.
liberdade. ainda que tardia.

by Idy, dez. 2001

26 comentários:

Maria Augusta disse...

Marilia, acho que o novo visual esta "dez", gostei muito. Interessante este teu conto, é verdade que muitas mulheres que optaram por deixar de lado o romance para fazer carreira estão querendo fazer o caminho de volta. O ideal é ter os dois, mas ter sucesso nos dois simultaneamente é difícil.
Um beijão e uma ótima semana.

Eduardo P.L. disse...

A frase de TIRADENTES e dos CONFIDENTES ainda é muito popular em Minas!!!

Parabéns mais uma vez pela CARA nova do Blog! Se parecem muito, você e a nova REPAGINAÇÃO.

Ficou ótimo.

Bravo disse...

Que coisa não...

As vezes também preferiria ser menos, digamos, instruído para as coisas... tenho a impressão de que quanto mais nos "modernizamos", mais problemas temos.

MAs esperar é preciso...

pianomanga disse...

Olá Marilia, bom dia.
Marilia,quando a mulher começa in
quieta a olhar para o relógio e o
celular, já não está preocupada com o bolo que vai tomar, está é preocupada com o que de errado com ela existe.Terno armani,sapato sal
to fino,perfumada,cartão bancário
e outras cositas mais,é tem gato na tuba rsssss. Bjão e boa semana.

Erika disse...

Menina, conterrânea, eu adorei a cara nova.

E este texto poderia ter sido escrito prá mim.. afe... que coisa.

Beijos

O Meu Jeito de Ser disse...

Marília, o lamentável de situações como essa da Marcella, é o eterno desconforto que a insatisfação traz ao ser humano.
Muitas vezes em nossa vida, temos mesmo que fazer opções, elas são necessárias, mas nem sempre são satisfatórias.
Haveremos sempre de querer mais, faz parte do ser humano.
E a tão sonhada felicidade, que todos queremos, se ela não veio através do crescimento profissional, vamos buscar em outros segmentos de nossa vida.
Tomara que ela consiga, alguém que ame, que a ame e que preencha seus momentos de solidão.
Um beijo e boa segunda

Lia Drumond disse...

Delícia seus textos. Vou linkar você e devorar os arquivos! Meu pai também era mineiro, de Canápolis. Conhece? Adoro a sua terra! Beijos!

Thiago Quintella disse...

Estas tradições sacramentais oprimem nossos comportamentos. Forçá-los não é uma boa tática, Cada um há de se ver bem sem a preciptação... mas quando é que sabemos que não há preciptação??
Caraminholas!!

valter ferraz disse...

Marília, a coisa tá difícil? Esquenta não, relaxa que encaixa!
Com terninho Armani, salto, cartão prá pagar a conta, sempre aparece um gato, é olhar melhor em volta.
Beijo, menina

Yvonne disse...

Marília, eu acho que você poderia desenvolver mais esse lado contista. Adorei querida. Beijocas

Claudia Blue disse...

Ao menos esse tempo de espera serve pra reavaliar situações e tudo o mais... eu não tenho muita paciencia de esperar não..mas qdo a gente quer até passamos por cima de algumas coisas (no meu caso em tempo curto) rs bjao blue

http://conversadelevador.blogspot.com
http://nabolsadamulher.blogspot.com
http://adcorpuss.blogspot.com

ricardo disse...

eu já escrevi essa frase uma vez, mas em algo totalmente diferente, bom acho q essa coisa de "obrigação" de casar hj em dia ta meio q furado, ninguem se assusta tanto se a mulher ficou pra titia, mts das vezes é opcional, se fosse em tempos antigos... o ruim é q ainda tem gente com o pensamento minusculo, eu acho q todos temos q amar, apaixonar, ficar, namorar, mas não necessariamente constituir familia pra ser alguem "normal" ou feliz, mts vezes tem gente casada q é completaemnte infeliz, se casamento trouxesse felicidade não existiria tanta violencia domestica assim...beijosssss

http://conversadelevador.blogspot.com
http://vidacretina.zip.net
http://adcorpuss.blogspot.com

luma disse...

Marília, parabéns para Ana, seu blogue ficou personalíssimo!!
Que situação de Marcela! Se fosse menos ansiosa, se olhasse os meninos com menos seriedade e com mais diversão talvez as "coisas" andassem! (rs*) Boa semana! Beijus

Priscila Pires disse...

Ai gente parece que to lendo minha biografia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
to bem vendo que serei assim com a minha irma mais nova. Espero que ainda casada, filhos lindos (pq sou louca pra ser titia), uma familia invejavel e eu...linda,louca, poderosa, bem sucedida e...SOZINHA!!!!!!!!!
BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

DO disse...

Como já ouvi uma vez: não se pode ter tudo...
Gostei do novo visual

Beijão!!

Anônimo disse...

Marilia, tá a sua cara!!!! a cara nova do blog........ficou 10......
beijos
Dedéia

perdidinha... disse...

algumas solteiras querem casar e algumas casadas querem voltar a solteirice...
a gente nunca está satisfeita com o que tem!rs...
beijocasssssssssssssss marilinha e simplesmente ficou show a nova carinha do blog! adorei!!!!

perdidinha... disse...

isso aí!!! assino embaixo! sebunda- feira! ecaaaaaaaaaaaaa!rs...
beijocassssssssssss de novo linda!

Lino disse...

Marília:
É o assunto que discuti, que antepõe carreira ao amor, ao casamento. Parece ate que para ser feliz no trabalho é preciso ser infeliz na vida privada. Não creio nisso.

Ana disse...

Ok ok... vamos por partes.
1°) Quem foi que disse que 28 anos já está velha e na hora de casar? Eu heim!
2°) Acho que as coisas acontecem nos momentos certos... Não adianta forçar nada, se precipitar...
3°) Mas também não se pode somente esperar. Muitas vezes temos que dar uma forcinha ao destino, e fazer acontecer antes que... seja tarde demais!
Falar dos sentimentos, correr atrás do que se quer, seja ele uma profissão, seja ele uma família, ou que sejam os dois! :-)
Beijos, amei o conto!!!!!!!!!
Ana.
www.mineirasuai.blogspot.com

Rafael Reinehr disse...

Marilia, indubitavelmente qualidade é muito, muito mais importante do que quantidade. Acontece que, no meio da peneira (nome dado à seleção que é feita pelos times de futebol para selecionar entre milhares de novos jogadores infantis e juvenis) é que está escondido o craque. Como disse lá, com este mecanismo "semi-automático", encontrei muita qualidade. Inclusive alguns que posso já dizer que são meus amigos. Parece que nos conhecemos há tempo.
Queria também aproveitar e agradecer o link, que será retribuído indubitavelmente (também para facilitar meu retorno para cá). Sei que tens idéias interessantes e acredito que será muito bom discuti-las consigo, apesar de acreditar que apresentemos discursos distintos...

Um abraço fraterno e até breve. Se tiver uma crítica acerca da Sétima Proposta, por favor deixe-a no Fórum, que prontamente irei tentar responder (ou o Fórum o fará).

Márcia(clarinha) disse...

Liberdade pra dentro da cabeça, ainda que tardia.
A-do-rei o novo lay, seu rosto nos recebendo, suas palavras nos dando boas vindas, a-do-rei!!!
lindos dias,flor
beijos

Claudio Costa disse...

Não há receita para ser feliz. Parece-me, entretanto, que quem deseja "tudo" e não abre mão de nada, geralmente, dá com os burros nágua (a expressão é antiga; tem outra melhor?). Outro problema comum: muitas pessoas são 'obsessivas' (não no sentido clínico, de ter TOC, essas coisas) mas no sentido de exigirem demais de si, dos outros e de quererem "ter certeza" de tudo. Aí, minha cara, não correm risco e... são riscadas. Dói, mas é assim.

Blog do Beagle disse...

Adorei a forma que vc usou para falar de algo real e que acontece em toda parte. Tenho ouvido reclamos das mulheres que acham que perderam o bonde da história. Tem saída para essa situação? Bjkª. Elza

marilia disse...

Amigos, que bom que vcs gostaram da cara nova!!!
eu adorei o que a Aninha aprontou!
e obrigada pelo carinho e pelos comentarios..vc sjá me conhecem, meu jeito de repsonder é sempre passar no blog de cada um e deixar meu abraço, claro que depois de me deliciar com a leitura dos posts!
bjos e boa semana!

Adelino disse...

Marilia, pelo jeito não chego atrasado apenas quando vou à missa...

O seu blog, que já era bonito, ficou lindíssimo. Meus parabéns pra você e para a Aninha, que cuidou do visual.

Sobre o texto, sinceramente, concordo com todos os comentários, principlamente com os da Ana quando diz "...quem foi que disse que 28 anos já está velha...". E também com o do Ricardo.

Hoje em dia, não sei se felizmente ou infelizmente, casamento não dá status a mulher nenhuma, e muito menos a homem. O que tenho visto de mulheres casadas infelizes, carentes, "suportando" quando não "sustentando" um casamento infeliz não está nem nos almanaques e nem nos PNAD´s da vida.

Vejo total inversão de valores morais e éticos. Já vi gente = principalmente mulheres - dizendo:
- O que importa é ser feliz.
E mais, veja que ridiculo:
- Vigio sim o meu marido, porque a concorrência está muito grande...
Como é que pode?

Beijos, Marilia.