Layout / Art: Ana.

terça-feira, agosto 14, 2007

Porradas freudianas...

Incrivel como as coisas são cíclicas e se repetem.
Esse post é do ano passado.
Poderia ter sido escrito agora.

Cá estou eu, quase uma hora da manhã, olhando para a tela do meu computador.
na cabeça, mil palavras, coisas para falar, ou melhor, para escrever.
contar, desabafar, tentar respirar, sem saber onde começar.
me irrita como a minha ansiedade "beira" a histeria.
sou como uma monhanha russa, daquelas bem altas...
até qu'eu estou tentando aprender a andar em linha reta, mas tem gente que nasce para ser gauche e suas boas intenções jamais serão reconhecidas!
sou uma delas, tenho que aceitar, vou continuar desacreditando, graças a deus!
quando decidir fazer análise sabia que não seria fácil, mas nunca pensei que fosse assim.
a gente se despedaça - literalmente - a cada sessão.
(
despedaçar [De des- + pedaço + -ar2.] Verbo transitivo direto. Partir em pedaços; partir, quebrar, dilacerar: ).
as vezes a emoção surge da lembrança, outras da ausência de lembranças.
sempre saio do consultório diferente.
na verdade não sou previsível.
achava antes, que nada me surpreenderia e mais, qu'eu nunca me entregaria.
achava que não ia me expor, confiar sem limites, testar e descobrir meus próprios limites. loucura... sempre fui de entrar de cabeça em tudo, não seria diferente na análise.
pois bem, ontem (hoje) levei mais uma porrada freudiana.
daquelas de tirar o folego, tipo te deixar sem chão.
ainda não consegui digerir, estou parada , entorpecida.
convivendo com freud , lacan e outros da mesma laia, aprendi que odeio a punição, mas detesto a impunidade.
sei que o abandono é meu grande medo e curiosamente, contradições a parte, somente quem me tem pode me deixar.
o foda é entender por que isso acontece.
o pior é ter que ficar na defensiva para saber quando e onde vai acontecer.
por um tempo eu havia me esquecido totalmente dessa parte .
porra, quando vou aprender que ninguem ama o próximo como a si mesmo???

( by Idy...texto da série " Malucos por rivotril"", coletanea com pretensões bem humoradas )

18 comentários:

Carol Montone disse...

Flor que delícia te ler...tb sou da turma da montanha russa....e por isso mesmo ando em frangalhos ...dei uma caidinha...risos...e tá difícil cumprir muitas responsabilidades...a saudades é toda minha de visitar pessoas como você...ãdorei o texto...tb faço análise e as vezes muitas tenho vontade de fugir da sessão e dizer que tudo é bobagem só para continaur iludida...mas o que vc disse é muito forte...só me deixa quem me tem é uma dor violenta...por que né???por que tem qeu ser assim...
olha flor eu tenho tido pouca chance de navegar nestes dias mas tenha certeza que aqui será sempre aprada obrigatória
beijos grandes
Carol

O Meu Jeito de Ser disse...

Espero que você possa fazer hoje uma análise do seu texto, friamente, e tirar algo de bom dele.
Por exemplo, posso viver melhor a cada dia.
Eu amo você.
Um beijo querida. Fica bem tá?

Anderson-kbça disse...

Ei Marília, acho que "re-postando" isso, acaba fazendo uma análise, e essa última pergunta, muita gente deve se perguntar, não é exclusividade sua não.

abraço.

Ana disse...

Nossa... Sem palavras... Sério...
Tô refletindo... Me deixa refletir...
Beijo
Ana
www.mineirasuai.blogspot.com

Lord Broken Pottery disse...

Marilia,
Faço análise há muitos anos. Parei por um período mais ou menos longo, voltei recentemente, por sentir falta. Acredito que os processos são dolorosos, nem sempre gostamos do que vemos, mas o saldo é sempre positivo. Considero Freud um dos maiores gênios que a humanidade produziu. Vim de uma casa de esquerda, onde a psicanálise foi ridicularizada com insistência. Não é assunto pra você conversar com comunistas. Consideram coisa burguesa, tola, pouco recomendável. Lembro da primeira vez que procurei uma analista. Estava passando por um momento dificílimo em minha vida, quase enloquecendo de dor. Apesar de ter chegado ao consultório com todas as amarras que minha criação impunha, consegui soltar-me e tirar proveito. O tempo passou, vieram outros analistas (já estou na terceira), sempre mulheres. Para mim é mais fácil conversar e me abrir com o sexo feminino. Principalmente quando é preciso baixar a guarda.
Grande beijo

Thiago Quintella disse...

é aceitar o golpe e ver que todos sofremos, e não somos perfeitos!

Mário disse...

Minha amiga,é assim mesmo. A vida é cíclica em si própria, momentos e questionamentos se repetem a todo o instante. Podemos nem notar, mas evoluímos sim. A mais profunda imersão que conheço é a invasão ao conteúdo refletido pelo espelho. Somos o que pensamos ser ou ver? Fiz minhas sessões também (não freudiana, peloamordeDeus!...rs), mas as fiz. Valeu sim, descobri muito de mim mesmo e essa revelação me tornou um pouquinho melhor.
Abraços.

Yvonne disse...

Marília, enviei um e-mail para você e peço ignorá-lo.Lindíssima, também desejo um ótimo dia para você. O que você sentiu quando releu o que escreveu? Acho que é uma ótima oportunidade de fazer uma análise do que já mudou, não?
Beijocas

Blogue da Magui disse...

Vc não gosta de punição...Então deve fazer parte do Brasil mesmo porque o brasileiro distingue ladrão de galinhas de ladrão de banco ou sequestrador quando é tudo a mesma coisa.

Lila disse...

Oi Marília, o texto pode ser do ano passado, mas com certeza a sua visão hoje sobre o assunto é diferente e espero que melhor que da primeira vez....
tenho te lido sempre, embora nem sempre comentado por falta de tempo...
beijos

pianomanga disse...

Oi Marilia querida, tudo bem conti
go? Então está ótimo. Marilia, sabe
qual é a minha vontade? É de um dia
fazer uma regressão, acho que tem a ver com hipnose né não?´Será que é igual a isto que você tá fazendo?
Se for tô fora, pois esse negócio de sair aos pedaços só naquela doceria famosa sabe? Quanto ao passeio, é realmente divertido, ape
sar de ser uma diversão solitária,
você vê as coisas e fatos, ri por dentro e fica na sua pois se não o bicho pega já que o pessoal é um tanto quanto nervoso rssss. Bjão.
Ps: obrigado pela visita e coments.

luma disse...

É a lei da natureza ser cíclica. Nos repetimos sem perceber. Sempre antes de postar, dou uma olhadinha no que escrevi um ano antes. Só para me situar onde estava e sempre sinto que estou andando em círculos! (rs*) Beijus

gui disse...

Marília,
Primeira visita ao seu blog. Gostei do que li, apesar de um tanto quanto diferente (ou não) de minha realidade.
Volto mais vezes, prometo, para ver o que você apronta por aqui... rs
Um abraço.

perdidinha... disse...

o mundo gira... mas tem algumas horas em que a gente pára no mesmíssimo lugar... o bom é que o pensamento e a forma de encarar e lidar com situações semelhantes são, muitas vezes bem diferentes.
beijocassssssssssssssss.

marilia disse...

Gente vcs já me conhecem...retorno os comentários sempre visitando o blog de vcs...
amo ler todos, e estou sempre lá...
mas, as vezes alguns passam aqui e não deixam endereço, como o "GUI"... Então,obrigada pela visita, e da proxima deixe seu endereço, pq o tiago, que tb não deixa o site , é amigo velho... menino de ouro que escreve no "canisfamiliares"...
Bjos e valeu!

Priscila Pires disse...

ai mamys e mais uma vez a vida nos pregando pecas neh?? infelizmente estamos na roda da vida e as coisas se repetem mesmo..sejam elas boas ou ruins...
luv ya!!!
sardades!!!

valter ferraz disse...

Marilia, se eu fizesse análise, o meu analista baixaria enfermaria em dois tempos. Ficaria doidinho. E, tome, rivortril!
Um beijo, menina

O Meu Jeito de Ser disse...

Marilia querida, está aí o endereço do Gui, ele dá umas sumidas poderosas, ma é um menino carinhoso, centrado e eu o adoro.
http://www.noscanos.blogspot.com/
Beijinhos querida.