Layout / Art: Ana.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Para alguns homens ...


Escrevi o texto " Para alguns homens" há anos atrás, em um dos muitos fins de semanas que passei em Ouro Preto com Luigi.
Luigi é meu eterno amigo.
Fizemos um pacto: quem ficar velhinho primeiro vai morar com o outro...
Ligo para ele as 3 da madrugada.
Ele me atende como se fosse a coisa mais natural.
- idy?? parla, amore!!!
- Vou morar com você..
- venha.
- em qualquer lugar, um dia, antes d'eu morrer.
- Idy, pára de drama, te amo, vai dormir.
E eu vou...
Luigi sempre me faz acreditar que somos únicos.
Temos um pacto de amor.
Uma vez, ele foi pra Itália e me escreveu longas cartas.
Depois, veio morar no Rio, me visitou uma tarde.
Não nos desgrudamos, falamos pouco, mas tudo foi contado.

Luigi foi aquele homem que me apresentou o outro lado.
Com ele eu saía pela noite, entrava em lugares malucos,
Com ele conheci uma Belo Horizonte dark, ruas distantes, bares do centro..
Música, risadas altas e soltas, o outro lado, o clamour e um estranho medo.
---------------------------------------------------

Para alguns homens / pensando em Luigi

-I-
Chovia naquela noite e a gente não conseguia taxi.
Eu estava me sentindo mal, como sempre sinto quando estou úmida, água escorrendo, roupa grudada.
Um cheiro morno saindo de mim.
é curioso, por que fico irritada e um pouco excitada.
você nunca percebe, a não ser quando já estou explodindo.
Entramos em um bar qualquer. pedimos cerveja, mas eu queria mesmo era um chocolate quente - você sempre ri dos meus desejos no meio da noite -
Então, como toda vez, chegou alguém conhecido seu, um homem, e nos sentamos os três.
Você olhava para ele com aquele olhar.
Não suporto sua cumplicidade com os homens.

-II-
Noite igual a muitas.
Você me apresentou mais um amigo seu.
Tipo mundano, misturava cocaina com uisque.
Falamos de nada. Filosofia barata.
Contrariando a praxe, ele encostou sua perna em mim.
Sedução vulgar para um homem tão vivido.
Me ofereceu um cartão que tirou do bolso.
Nesse momento, percebi um olhar entre vocês.
Você me falou depois, que tinha sido há muito tempo atrás.
Não sei como um sujeito desses é seu amigo.
Não suporto seus amigos....

- III-
- ahn...ciumenta que sempre sou...

10 comentários:

O Meu Jeito de Ser disse...

Continue procurando um amor tranquilo.
Acho que ele é mais compensador.
Um beijo

Lord Broken Pottery disse...

Marilia,
Acho que já conheço você um pouco. A melancolia chegou, bateu, veio para ficar apenas uma chuva, mas insiste em ir ficando, não decidiu ainda ir embora. Tenha certeza que ela demora mas vai.
Beijo

valter ferraz disse...

Marilia, loucos amores? Moderação e temperança. Às vezes o grande amor está alí ao alcance da mão, e é simples, quase vulgar. Um nada de amalucado, bem pe´no chão mesmo. Prá que ir atrás do impossível?
Beijo, menina

Eduardo P.L. disse...

O que será que esse Luigi tem, que os outro não???....

Abçs!

marilia disse...

Amigos..
Lu, é um grande amigo e minha paixão! fizemos um pacto sagrado de amizade dos mais eternos...
Mas, naquela epoca que o conheci, foi dificil entender a opção de amor que ele fez, mas hoje não conheço ninguem mais feliz ou mais realizado...
mas sempre terei ciumes dos amigos deles...
entendem ?
bjos

Ana disse...

Eu entendi, Doutorinhaaaa! Eita!
Adorei os textos... lindíssimos!
Beijo

Márcia(clarinha) disse...

Mas seu ciúme é mais que normal, é puro amor de amizade sincera e quem mais ficaria assim se não fosse único e bom entendedor de pactos?
Nada se compara a isso, nada!
lindo findi,flor
beijos

Blogue da Magui disse...

Vai levando.Só não queime vela com defunto ruim.Belo texto.

Mônica Montone disse...

Marilia, meu anjo, viver ultrapassa qualquer [des]entendimento, né?

beijos, flor e bom fim de semana

MM.

Yvonne disse...

Marília, seu post foi de uma delicadeza só e me deu até vontade de conhecer o Luigi. Amigos assim é que são importantes na nossa vida. Querida, não se esqueça de me enviar o seu novo e-mail. Beijocas