Layout / Art: Ana.

segunda-feira, agosto 28, 2006

Passagens.
O meu avô Paulo chamava meu pai de "Nanico".
Ele me contou um dia, que sempre que precisava levar a roupa pro freguêz, chamava meu pai.
Cuspia no chão e falava:

"Nanico, leva lá no Largo do Rosário e entrega pro Totonho..., e volta antes desse cuspe secar!!!Por que se voce chegar e ele já tiver secado, vai direto pro castigo!"

O cuspe secava sempre, e ele nunca foi pro castigo.
Meu pai é como meu avô, como todos os homens alvarengas: - mordem os dedos quando estão com raiva,mas preferem perder uma mão que bater em um filho..
Já as mulheres..

Um comentário:

Gdá disse...

rsrsrsrs, que vida Ydi!!!!!!!! é verdade, eles morrem mas não batem,e as mães heim???? credo cruz!!!!!!! beijos