Layout / Art: Ana.

quarta-feira, agosto 23, 2006

ok, jojo e Luciana.vou escrever, é grande, mas ôces vão.. lê....


De fato, ela sempre havia acreditado nele.
Tinha a insegurança natural das mulheres passionais e casadas com homens muito especiais.
Mas, ela sempre dizia que eles se amavam de todas as maneiras.
Eles se agarravam, se beijavam, se entregavam em qualquer lugar, em todas as horas. Ela dizia sempre que tinha uma história de amor e de paixão e que era realmente uma mulher feliz!
Que mais poderia desejar? Ela dizia ser amada e desejada, coisa rara, se levasse em conta as conversas com as amigas.
Tinha filhas lindas, uma casa como gostava, viagens, trabalho, enfim, um casamento legal.

Ah, é certo que discutiam..... Chegaram a brigar de verdade uma vez.
Era sempre ela.
Passional, mulher signo de fogo, era o ciume em pessoa!

Tinha uma tática. sempre que ele olhava para qualquer mulher, mesmo aquele olhar natural, ela antecipava-se, chamava a moça e lhe apresentava o marido - olha, meu marido está te achando linda!
Ora, depois dessa, o marido sempre falava: - que coisa, falta de graça! como voce faz assim ?
- Já te falei que não gosto ...
Mas, ela ria, feliz por dentro, porque ele não olhava mais, esquecia, e ela voltava a ser como sempre : a única!

Agora, olhos inchados de chorar, ainda tentava entender a situação.
Como? Quando? Onde ? Porque? Sem que ela percebesse?
Mas, então..será que foi sempre assim?
Sempre foi " de mentira"?
Sempre teria havido outra?

Sentada no chão do quarto, retratos resgados, roupas tiradas do armário, a raiva não passava.

Ele não havia negado nada.
Ela perguntou, de cara, como sempre fazia, mais um de seus truques

Ele estava chegando de uma viagem.. Não quis que ela o esperasse no aeroporto.
Disse que viria com o amigo. Aliás, eles sempre viajavam juntos. Ele e o amigo.

Quando ele entrou em casa, carregava uma mala diferente.
Antes de abraçar, ela perguntou:
- que mala é essa? cadê a sua?
-de quem é?
-calma, môr... , ele havia respondido.
-A gente trocou sem querer... Peguei a do Estevão, e ele pegou a minha...
-tem problema não! Amanhã a gente "destroca"
Ele, já sorrindo, veio abraça-la.
- Mas, e os presentes?
- Ahn... calma, tá mais preocupada com presentes do que em me abraçar..rsss

Alguma coisa, ela nunca soube dizer, se foi o tom da voz dele, ou se foi a boca.
Ele estava com a boca branca!
Ela havia descoberto, desde antes, comecinho do namoro, que ele ficava com a boca branca quando mentia!

Não abraçou.
Desceu escadas afora, entrou no carro, e tocou para a casa do Estevão...
Era ali do lado, seis a sete quarteirões. A mãe dele abriu a porta. Quando ele a viu, ficou sem fala.
- A mala, Estevão... eu vim buscar a mala dele....
Não teve saida. O Estevão entregou a mala e com ela a traição....

Dentro da mala, dois de cada presente.
Uma saia pra ela, outra saia, igual, para a outra.
Um moleton para ela, outro, igual, para a outra!
E pior... o perfume! Seu perfume de anos, sua marca, seu channel predileto, dois!
Mas, a dor maior foi quando ela viu os postais.. muitos..e escritos atras com o nome da outra .
Cheio de palavras : -" estou imaginando voce aqui comigo"..., outro, no postal da outra, dizia :" essa cidade é linda como seu sorriso"...

Barango, ela pensou no meio das lágrimas! Ele sempre foi barango em coisas de escrever.
Ela lembrou-se que recebia cada cartão no dia dos namorados...sabem, daqueles com brilho em volta do coração?

Ele não negou quando ela perguntou.

E ainda disse para ela o nome da outra.
E disse mais...que era apenas uma paixão passageira, que ela desconsiderasse, que ela podia , entendem, ela podia ficar com os dois perfumes, mas , ele gostaria de sentir na outra o cheiro dela...
Como se fosse uma homenagem...

Ali, no chão do quarto, ela sentiu-se personagem de todas as estórias de Shakespeare.
Ali, ela sentiu a emoção da raiva, da frustação, do ódio ...
E ali, ela viveu inúmeras vinganças...

Não, ela não o matou naquele dia.
Demorou alguns anos.

4 comentários:

Joana disse...

ai mae! que odio.. traumatizei.. ate chorei!

Anônimo disse...

ei Marília....eu li.
Que estória desconcertante....
beijos!
Luciana Pordeus
ps...mais uma!
mais uma!

marilia disse...

caracas! tem de dar tempo....
uma de traição, uma de prima, uma de namorado...rss
bjos
e ai jojo, traumatiza não... sei de cada uma,pior...rssssss

Anônimo disse...

Marilia, imparcialidade a parte.......
acho que não matou até hoje...rs
beijo
Andréa