Layout / Art: Ana.

quarta-feira, novembro 15, 2006

a morte

penso que o amor e a morte são as duas experiências mais limite que a vida oferece.
Acredito que exista forte subjectividade na forma como cada ser humano “vivencia” quer o amor quer a morte. A morte de entes queridos, me faz escrever poemas e textos marcados pelo estigma da perda, e me inspira reflexões, arrumações íntimas, num tom mais ou menos declamatório, quase sempre mais catártico do que reflexivo. Sei que a forma como cada um de nós reage à morte dos outros é diferente, mas sempre nós trás a consciência da nossa própria morte. Acho que uma das questões que a morte levanta àqueles que ficam vivos é assistir, é viver a eterna luta entre a memória e o esquecimento. Porque, no fundo, se morremos um pouco com aqueles que nos morrem, é também verdade que aqueles que nos morrem vivem um pouco dentro de nós.

Gosto do Rilke, quando se trata de morte e de tristeza, e ai vai um poeminha dele.

Rodeado de vento, no cume, rodeado de vento, há um nome invernal
esculpido por sílabas que abandonaram o seu destino de fogueiras quase extintas e regressam à condição de estiletes, falcões, dízimos de nenhuma consoladora memória;
Nele poderei dizer que encontro a serenidade depois de um ano que não passaria na inspecção;
peso excessivo, olhar vítreo.
Nele reaprendo a confiança, observo a líquida luz que trespassa as coisas, e esqueço-me por algumas horas do estado em que vive o pó que somos.
Uma ave escapa de um ramo envenenado, seta dirigindo-se para o céu de agosto.
Há um bunker lá em cima, onde deve estar Deus, quem se eu gritasse ouviria o meu grito?

( meninas, desculpem, mas a morte do tio Nilton me deixou assim,
meio triste, meio escritora...)

7 comentários:

Ery Roberto disse...

Amor e Morte: um sentimento e uma realidade. Extremos mesmo, concordo. Enquanto ao primeiro nos entregamos para poder absorver com maior intensidade as belezas da vida, o segundo nos transmite tantas reações, às vezes paradoxas - medo, serenidade, aceitação, descontrole etc. Acredito que o fato de trazerem em sua essência significados distintos no terreno do telúrico, eis que um se traduz pela soma e o outro pela perda, ou seja, uma subtração, acabam por nos ensinar a solução definitiva desta equação tão complexa que é a vida. // Marília, vi seu comentário lá no blog do Valter (Perplexo Inside) e resolvi conhecer por aqui. Parabéns pelos seus textos, o blog merece ser revisitado sempre. Saiba do enorme prazer que tenho em conhecê-la. Vá até ao meu blog, será um prazer recebê-la por lá. /// Abraço.

Gdá disse...

Ydizinha, quero aproveitar e te pedir o favor de blogar na página principal esse recado prá todas as primas(os) queridas(as)

Amores da minha vida, Méia, Dê, Mônica, Si, Moly, Fátima, Ydi, Marcinha, Biba, Niltinho... (desculpas se esqueci alguém) quero agradecer do fundo do meu coração o carinho, a dedicação que tiveram pelo meu pai Cacá, na ocasião do aniversário dele que será no dia 04 de dezembro. A preocupação de vocês, em especial Méinha, Mônica e Dê, em organizarem a festa prá que levante o astral dele e de todos os tios amados que aqui ainda estão junto a nós. Mas realmente o papai está na mais profunda tristeza, ontem ao telelfone, ele chorando, falou da alegria que estava sentindo de ver o amor e carinho que vocês estavam organizando a festa dele, mas que realmente ele não está conseguindo aceitar a morte do irmão mais puro e amado que ele tinha, e não aceita o fato de nada poder fazer nada prá tê-lo de volta... enfim, a tristeza tomou conta literalmente dele e de todos nós e que não poderia em menos de 1 mês comemorar o seu aniversário sem a presença do tio Nilton e com tamanha dor no coração. Disse também que só o carinho de todas com ele já foi o maior presente que ele recebeu. Portanto primas queridas, o meu maior muito OBRIGADA por tudo e fico muito feliz em saber que estamos cada vez mais unidas e com a certeza da proteção de Deus nosso Pai eterno, ainda nos reuniremos prá festejar muitos, mas muitos aniversários dos nossos pais e os tios e parentes que nos deixaram, com certezam estarão participando, nos protejendo e cuidando para que sejamos felizes e unidos aqui na terra. VALEU AMORES, AMO VOCÊS E MAIS UMA VEZ OBRIGADA PELO CARINHO COM MEU PAI!!!!!!!!

Anônimo disse...

Agora é a minha vez....
Somente hoje consegui entrar no blog...sabia que iria encontrar tantas coisas escritas sobre meu amado pai.... E não tenho como, feito a Mamá, deixar de agradecer minhas amadas primas e Bibinha é claro, pela força, carinho, palavras de conforto e amor que tem dispensado a mim.... Fatima, suas ligações regulares me enchem de conforto o coração....Molinha, os momentos que antecederam, minha angustia e aflição sem saber o que aconteceria e suas mãoszinhas agarradas as minhas, me deram a força que eu precisava para suportar moments tão duros... Má, minha irmã de alma que dividiu comigo todos os momentos de alegria e de tristeza e que hoje cuida da minha mãe e irmão acho que até melhor do que eu mesma..... Monica, Dê, que juntas tomamos um porre da 3º feira e choramos e rimos juntas e reforçamos a importancia de termos umas as outras.... Marcinha e Simone, meus alicerces.... Ydi, que com seu blog dá oportunidade para que possamos nos expor, nos amar, nos xingar etc etc etc... e Bibinha que é Alvarenga puro que nem a gente...que acorda no meio da noite e se dispõe a viajar quilometros para fazer a alegria de um tio....
Isabela e Paulinha, que me ajudaram a esquentar as suas mãos já tã frias.....Amores, eu perdi meu pai e a dor é inevitável....mas ele está no ar que respiro e dentro do meu coração e será através de vcs e dos pais de vcs que matarei minha saudade....
Obrigada por tudo, vcs são de verdade para mim especiais... E me sinto muito privilegiada por ter vcs....bjs no coração
Maria Amalia

Anônimo disse...

Pois que seja assim, escreves muito bem.
Também adoro o Rilke.
Beijos,
Felipe Simpatia.
www.felipesimpatia.zip.net

Gdá disse...

Meinha, como não chorar rios de lágrimas??? que coisa mais linda e de coração que você escreveu. Amor, a sua dor é com certeza a maior do mundo, pois sei o tanto que hoje te falta o ar, mas como você mesma sabe bem, estamos todas juntinhas de você, hoje e sempre. Você é uma prima especial e sabe o tamanho do meu amor por você, sua família e em especial e maior de todos o amor pelo seu pai, ele é muitas SAUDADES sempre!!! a minha criança esperança mais linda do mundo, mais UNICEF impossível, e como combinamos agora ligaremos 0800 céu para doar prá ele né? aposto que ele vai amar rsrsrsrrss.
Amor, o mais importante disso tudo é você saber que tem a todas e todos, e que essa estrada dura, escura, turva e horrorosa que você está nela, pode acreditar que estamos todas juntinhas caminhando passo a passo ao seu ladinho tá? Amor, eu te amo, beijos com saudades e todo meu amor.

Anônimo disse...

Gda e Meinha,

Acho que nao precisamos falar (falei no plural pq todas nos sentimos e pensamos da mesma forma e com a mesma forca)do amor e carinho que nos ligam umas com mais afinidades, outras com mais carinho, outras por puro amor, mas por quaisquer que sejam os motivos o amor existe, forte,e sabemos que temos umas as outras. Em todos os momentos nos mais alegres, aos mais tristes, amamos voces.
E Meinha esta sensacao escura vai passar a saudade nao, mas o sorriso da Gabi,sua uniao com Niltinho, o carinho do Dani, tudo isto e logico nos, vamos te ajudar a atravessar esta ponte que hoje parece intransponivel mas que com o tempo vc com seu amor, seu carismo e carinho vao conseguir, Te amo, Fatima

Gdá disse...

É isso mesmo Meinha, a Fátima tem toda razão, e lembra: ESTAMOS TODAS JUNTINHAS COM VOCÊ NESSA TERRÍVEL ESTRADA, se for prá cair, caimos juntas, se for prá seguir, seguiremos juntas, se for prá voltar, voltaremos juntas e com certeza e muita fé de que juntas encontraremos a luz e que ela virá brilhando e com muita força por Deus e Tio Nilton que tanto amamos e tanto nos ama também.
Amor você é tudo de bom nessa vida, acho que agor avc será minha UNICEF rsrsrsrsrsr topa?
te amo muito, Mamá