Layout / Art: Ana.

sexta-feira, janeiro 05, 2007

familia...rimãs....


A coisa mais maluca é o tempo. Lugar comum falar isso,mas realmente, ele passa tão depressa quando tudo está bom, quando estamos com as pessoas queridas perto, quando estamos vivendo momentos de paz e de alegrias , que pequenas,mas de uma importância impar na minha vida!
Estar com Joana e mali juntas, lá em casa, em total harmonia, vendo as duas fazerem palhaçadas juntas, criarem teatrinho noturno para me deixar mais alegre, apostando quem consegue me fazer rir primeiro, é algo que não troco por nada nesse mundo.
Até aquelas coisinhas maluquinhas e chatas do cotidiano, tipo " campeonato de arroto pós coca-cola", especialidade das duas, e que eu quase morria de tanto xingar, hoje me deixa solta e acho divertido....coisas de mãe babona!
Teve também o almoço histórico, onde as crianças se reencontraram depois de alguns anos! as crianças são na realidade as filhas de minhas amigas, ou seja de parte da minha vida, Betãnia, Lucinha, Tininha....
E as crianças são Joana, maria julia ( minhas ); Camila e Gabriela ( Betãnia); Clara ( Lucinha), e a Titina , madrinha oficial e tia eterna de todas.........
Na realidade, é o retrato da nova estrutura familiar que vem surgindo nesse século.
Explico ;
- Joana, minha filha e do Didi, irmã da maria Julia , filha minha e do Alexandre..., Clara filha da Lúcia e do Didi e irmã da Joana; Gabriela, filha da betãnia com o Guga, e irmã da camila, filha da Betãnia com o Herbert....
Todas irmãs queridas, que se tratam como se fossem uma unica família, bem estilo woodstock, anos 60 ...rssss

2 comentários:

Carlinha disse...

Puxa, acho legal demais este tipo de convivência, me lembra a novela top model, aquele monte de filhos, tudo de mães diferentes e juntos numa casa só. Era uma festa!

Mas, no caso da(s) familia(s) aí do post, me encanta mais ainda. Parece que quando junta vira um clima de colônia de férias. Além de trazer a tona a possibilidade de familia grande que a vida de hoje não permite à todos os casais.

Ah, e por falar em clima woodstock, costumo dizer por aí que eu nasci na época errada. Adoraria ter tido 18 anos nesta "era".

Muitos beijos!

O Meu Jeito de Ser disse...

Pois é Marília, o tempo realmente pasa depressa demais. Quando vemos nossas crianças, já não tão crianças, é que nos damos conta do quanto otempo passa.
Mas é gostoso juntar as pessoas da família, sempre tem a famosa sessão "cueca amarela", ou seja recordações.
Beijos querida.