Layout / Art: Ana.

segunda-feira, abril 23, 2007

Medo...continuo a mesma


Umas palavrinhas sobre o que ando sentindo, e tentando entender.....falar e expressar um pouco sobre o sentimento, ou será a sensação, ou a emoção - do medo. Escrever sobre o medo, pois é exatamente o que tenho vivido nesses tempos. Ouso dizer que o medo é a emoção-choque! Hoje, a mera percepção de perigo me faz sentir aquele frio na barriga, me deixa sem fôlego. Sinto, efetivamente, uma série de efeitos no meu corpo e no meu organismo, e muitas vezes enxergo uma única saida e só tenho uma reação de defesa : - a fuga!
Mas, eu não posso fugir para sempre e nem mesmo para muito longe. E tudo volta, no dia seguinte, quando passa o efeito do tarjão.....Então ??? e ai????
Gente, é complicado, doido demais, não excita, apenas apavora. Cada dia que vivo, fico sem saber o tamanho dessa coisa maluca que eu venço diariamente, mas que volta igual, com a mesma força, também...diariamente!
“o medo pode provocar efeitos contrastados segundo os indivíduos e as circunstâncias, ou até reações alternadas em uma mesma pessoa: a aceleração dos movimentos do coração ou sua diminuição, uma respiração demasiadamente rápida ou lenta, uma contração ou uma dilatação dos vasos sangüíneos, uma hiper ou uma hipossecreção das glândulas, constipação ou diarréia, poliúria ou anúria, um comportamento de imobilização ou uma exteriorização violenta. Nos casos-limite, a inibição irá até uma pseudoparalisia diante do perigo (estados catalépticos) e a exteriorização resultará numa tempestade de movimentos desatinados e inadaptados, característicos do pânico” ( Delumeau, 1989)
Aprendi que o medo é uma emoção...não só minha, mas que acontece em diferentes formas de vida; que é uma reação biológica comum aos seres, mutável e imutável(?) e que torna semelhante as reações, em suas devidas proporções, equiparando o medo humano com o medo animal. Acho que começo a entender o significado da palavra sobreviver.
Sobreviver é vencer o Medo. Instinto ou uma emoção? ( tenho que descobrir...)
"Para Delumeau (1989), o medo se torna mais complexo quando trata da esfera humana. O autor cita Caillois (1961) ao referir-se ao medo no animal, que, segundo ele: “é único, idêntico a si mesmo, imutável: o de ser devorado”, enquanto nos seres humanos os medos são múltiplos por serem fruto da sua imaginação e, portanto, passíveis de descrições históricas porque sofrem variações . Delumeau, dessa forma se refere especificamente a um medo humano, mais complexo e diferenciado do que o medo animal. O uso contínuo da mesma palavra poderia veicular um sentido de medo universal, presente e imutável em diferentes formas de vida. Autores como Delumeau fazem com que se perceba, porém, a variação que o sentido do termo adquire ao longo da história: não apenas ocorre uma mudança das formas pelas quais o medo se apresenta, como também a própria concepção de medo sofre modificações........"
..."Delumeau afirma que a civilização só cresceu quando superou seus medos."

Ok, turma, tenho chances......
Ah...., quem é esse tal de Jean Delumeau?
É um historiador francês ( off-course...rsss), e especialista (?) em medos..., dentre outras coisas...
O tal do Caillois? francês, também... era sociologo, critico, essas coisinhas básicas .....

7 comentários:

Anônimo disse...

alvarengada, peca a idi para contar o meu tormento com ela em pleno feriadao de 21/4. ela me ligou as 6 hs da manha chorando porque nao tinha creme de chocolate pra hidratar as madeixas de maju, mandei vir buscar, mas a mansa queria que eu levasse la. com muito custo ela chegou e ainda me levou a minha tinta (0800) e 10 reais. ninguem merece.......

marilia disse...

num falei???
ela não vai dar mais sossego....
gente, vcs conhecem a pecinha...
eu ligando as seis da manhã?
oh céus, ninguem merece
Gdá, socorroooooooooo
ps.: ela já me ligou trozentas vezes pra avisar que tinha comentado...
ô gente, assim num vai dá...rssssssssss

O Meu Jeito de Ser disse...

Marília querida, que bom te ver aqui.
O fato de estar aqui, de estar falando da sua sensação horrível do medo, já é uma luta que está travando com ele.
Compreendo você, sei exatamente o que está sentindo, mas estamos aqui para ajudá-la, você vai conseguir.
Um beijo.
Fica bem.

monica disse...

eu, de novo...

e laing disse lá pelos idos dos anos 60...


"tenho medo
de ter medo
do medo
de ter medo"

ai que medaaa.......

monica disse...

laing ?

um antipsiquiatra ingles...

rsss

Anônimo disse...

Marília, muito bom te ver/ler no blog de novo...ainda que com medo.

marilia disse...

Monica, saudades de suas observações.., de suas ideias e retornos bacanas...
já to atras do laing...hoje tenho análise e vou pedir pro grecco uma indicação , ou vc mesmo me envie.
eu custo para amarelar, mas..quando o bicho pega, caraca, como é ruim....
te amo e SUCESSO HOJE!!!
Vou estar pensando em vc na hora, seu sorriso, seu jeito de contar histórias, sua entonação.moniquinha, sucesso no seu trabalho hoje, vc é nossa ÍDALAAAAAAA!